Últimas Notícias

Investimentos beneficiam produtores de frutas e hortaliças na região do Tapajós

Investimentos beneficiam produtores de frutas e hortaliças na região do Tapajós

Cerca de R$ 3 milhões foram aplicados em projeto de hortifruticultura que atende mais de 5 mil famílias no Norte do Brasil
Por Assessoria de Comunicação

Publicação: 04/02/2019 | 10:51

Última modificação: 14/02/2019 | 13:12

Brasília-DF, 4/2/2019 - O Governo Federal está investindo R$ 3 milhões para fortalecer a agricultura familiar e estimular o desenvolvimento regional na região do Tapajós, no Pará. Desde o último mês, pequenos produtores de frutas e hortaliças nos municípios de Santarém, Belterra e Mojuí dos Campos passaram a dispor de câmaras de esfriamento e congelamento em uma fábrica de polpas e derivados. A iniciativa é fruto da parceria entre a Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa) e o Ministério do Desenvolvimento Regional. A nova estrutura possibilitará o processamento e estoque de 50 toneladas de polpas e de frutas durante todo o ano, inclusive nos períodos de entressafra.

Instalada na Fazenda Experimental da Ufopa, a fábrica deverá abrigar também laboratórios para multiplicação de mudas em larga escala e para análise de qualidade de produtos vegetais. A previsão é de que todo o projeto esteja concluído em agosto deste ano. A expectativa é que mais de 5.000 famílias sejam beneficiadas direta e indiretamente com a ação. As principais frutas cultivadas na região são goiaba, taperebá, muruci, acerola e abacaxi.

Para o gestor do projeto no Ministério do Desenvolvimento Regional, Joaquim Carneiro, é fundamental que o poder público incentive o potencial das regiões para promover o desenvolvimento econômico e social. "A ação de fortalecimento da produção e do processamento é uma demanda histórica da região do Tapajós. Apesar da existência de associações e cooperativas, os produtores não conseguiam produzir e armazenar quantidade suficiente para fornecer aos mercados convencionais e aos programas institucionais, desestimulando a produção e fortalecimento dos setores", explica.

Devido à grande capacidade de processamento e armazenamento do Núcleo, será possível ofertar de forma linear frutas típicas da região do Tapajós - Baixo Amazonas - durante todo ano. A organização dos produtores, aliada às infraestruturas do Núcleo, impactam diretamente nos mercados consumidores. Os produtores poderão estabelecer e manter contratos de fornecimento e população terá acesso a produtos típicos da região com bastante facilidade. "Não vai mais acontecer de não ter determinado produto em alguma época", disse o presidente da Cooperativa dos Produtores Rurais de Santarém (Cooprusan), Sidney Nunes.

Iniciado em 2013, o projeto já trouxe equilíbrio à agricultura familiar e igualdade de concorrência aos municípios paraenses de Santarém, Belterra e Monjuí dos Campos. A medida do Governo Federal possibilitou a entrega de 12 unidades demonstrativas de produção, equipamentos agrícolas e de processamento. Está prevista, ainda,  a entrega de um laboratório de reprodução de mudas in vitro e de um galpão para armazenamento de equipamentos.

Segundo o Reitor da Ufopa, a iniciativa resulta em espaço de formação para os alunos e emprego e renda para as famílias envolvidas. O Núcleo de tecnologia é resultado do projeto de extensão 'Núcleo Tecnológico de Hortifruticultura na Região do Tapajós' da Ufopa, idealizado pela professora Patrícia Chaves.

A gestão da fábrica ficará a cargo da Cooperativa dos Produtores Rurais de Santarém (Cooprusan), que assinou Termo de Sessão de Uso em comum acordo com os dirigentes da Universidade.