Voltar

Empreendedoras fazem a diferença em suas regiões com auxílio do Governo Federal

Empreendedoras fazem a diferença em suas regiões com auxílio do Governo Federal

Danúbia Gama e Terezinha Conceição obtiveram apoio do MDR para implementar suas atividades e gerar novos empregos
Por Assessoria de Comunicação

Publicação: 08/03/2019 | 17:58

Última modificação: 15/03/2019 | 16:28

Brasília-DF, 8/3/2019 - Existem, no Brasil, mais de 9,3 milhões de mulheres empreendedoras, segundo relatório divulgado pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). A empresária Danúbia Gama, no Distrito Federal, e a apicultora Terezinha Conceição, em Minas Gerais, são exemplos de profissionais que recorreram ao apoio do Governo Federal para implementar suas atividades e, assim, conseguir também gerar novas oportunidades nas regiões onde vivem.

Com recursos do Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (FCO), administrado pelo Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), Danúbia Gama conseguiu transformar uma pequena escola informal no primeiro berçário day care em Ceilândia, cidade distante 26 km de Brasília (DF). Ela, que imediatamente conseguiu a aprovação do crédito, afirma que o suporte foi decisivo para concretizar seu sonho. "Muitas vezes você acredita, mas não é apoiado. Eu recebi esse apoio e fui abraçada por equipes que me orientaram da melhor maneira e até me ajudaram a aperfeiçoar o projeto", comenta.

"Atualmente, atendemos mais de 100 crianças e esse trabalho garante o emprego de muitos profissionais de diversas áreas", acrescenta a empresária, que está prestes a inaugurar uma filial em Samambaia, outra região administrativa do Distrito Federal, com capacidade para atender até 500 crianças.

No norte de Minas Gerais, a apicultora Terezinha Conceição também obteve incentivo do Governo Federal para desenvolver a produção de mel - alternativa importante para diversificar a atividade econômica numa região que sofre com a estiagem. Para ela, o mel se tornou a fonte de sustento das famílias e é com isso que estão conseguindo conquistar sonhos. "Estamos vendo bons resultados e vantagem com o mel", comenta.

Terezinha faz parte de um grupo de apicultores que recebem incentivos do programa Rotas da Integração Nacional, executado pelo MDR desde 2011. A iniciativa atua no fortalecimento da Rota do Mel e de outras cadeias produtivas locais, oferecendo apoio técnico e financeiro para capacitação, construção de polos e entrega de kits a produtores familiares.

De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2017, das 37 mil toneladas de mel produzidas, 20 mil foram exportadas, totalizando 55% da produção. A produção de mel apresenta baixo investimento de implantação e rápido retorno financeiro.